Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


QUERO UM POEMA SÓ PARA MIM!


ELA - Meu caso é muito sério, "doutor"...

ELE - Hum... o que te trouxe aqui hoje...?

ELA - Outro dia sai de casa com um tamanquinho marrom no pé direito, no outro pé um modelo diferente com uns entrelaçamentos de couro... só notei que não eram do mesmo par lá para às 10 horas da manhã no serviço; perdi minha agenda na semana passada; o dinheiro do metrô nesta semana... Andei mais de dois bairros a pé... sabe o que é caminhar do metrô da Saúde até a altura 100 da avenida do Cursino? Acho que 'ninguém merece' isto...! Parece que ando perdendo o fuso horário estou me transformando em uma ´coruja´, só falta fazer aqueles sons: - Úuuu uuuú...

ELE - E o que mais...?

ELA - Como o que mais??? Ah! Não encontro um cristão que me dê um poema... O senhor sabe fazer poemas "doutor"?! (voz rouca)

ELE - Precisa ser cristão?

ELA - Ah ah ah o senhor é: Cruel... "doutor"!!! (debochando de mim hein!) cristão entre aspas.

ELE - Em primeiro lugar eu apenas clinico, em segundo não me seduza! Mas... para que você quer um poema só seu?

ELA - E daí? Só porque clinica não poderia experimentar, escrever um poema...? (sussurrando)
 
ELE - Experimentar... (suspirando e bufando internamente)

ELA - Não estou a fim de seduzir o senhor, estou com a garganta ruim, estou gripada... (cóf! cóf) ....experimentar fazer um poema, uai...

ELE - O meu caso não vem ao caso... você está aqui para falar sobre você... de modo geral quando batemos na porta da análise procuramos despertar algo mais profundo dentro de nós... – enquanto isto o "doutor" pensava sem os fios de seu bigode (gostaria de fazer um poema um dia destes porém não sei acho que seria considerado um poeta menor, sem grandes dons, respeito quem sabe construir uma Odisséia).

ELA - O senhor precisa compreender a minha dor...! Todas têm algum poemas menos eu...

ELE - Quem foi que te disse que as pessoas não possam entender a sua dor... aonde dói?

ELA - Aqui no peito... Ora bolas, faça alguma coisa!!! Vai ficar aí parado possivelmente com sua mão no queixo e sobrancelha para cima como todo camarada metido a intelectual, intelectuais não transam só falam! Intelectuais não são de nada... ou melhor não estão com nada...

ELE - Sinto muito (será que ela pensa que sou o Scooby-Doo para fazer alguma coisa?), não posso cuidar deste tipo de ´problema´no seu coração, você não está sendo muito radical...? Posso assinalar também aqui o seu, digamos...

ELA - ...Despeito, que raio de "psic_analista" o senhor é!?!

ELE - Por que será que dói?

ELA - O senhor não prestou atenção... detesto divãs não suporto ficar de costas para as pessoas... mas sei que o senhor talvez esteja com a mão no queixo possivelmente mordiscando um lápis, uauuu doutor descobri algo sexy no senhor! Só não entendo por que o senhor se esconde aí ? Já que não proclama tão ortodoxo...

ELE - Por que tanta agressividade, o que está te incomodando? 

ELA - Porque dói, pô... a dor da ausência, quer que eu recite Drummond!? Por que não ganho um poema, por que ´quase todo mundo´ que conheço tem um poema e eu não tenho? Por que???

ELE - Agora você estaria agindo de maneira infantil...?

ELA - Será que preciso de um raio de "psicanalista" &%$@ para falar isto `e pensar que euzinha` ...por que ainda pago para escutar estas coisas, GRRR?! Por que todo ´psico-alguma-coisa-canaliza-a cana-anal(ítica)-filosófica...´ é chato, não soluciona nada tem a mania de ficar enchendo a cabeça da gente com perguntas e ainda leva a nossa ´GRANA´? 
Quero um poema somente para mim e ponto.

ELE - Você está com raiva, ciúmes, inveja de quem tem um poema dedicado ou uma poesia...?

ELA - Ciumenta, quem não é ´um pouquinho´? Mas... i n v e j o s a  de quem do vento!?! Não posso ter inveja daquilo que não toco... do que não faz parte do meu campo visual, não vou me comparar com a fulana de tal porque não sou similar a ela, eu quero lá saber das outras e dos outros... (esta é a parte do ódio). Quanto real do lado romântico da "coisa", nenhum popstar faria uma letra de música e dedicaria à mim... Ó "doutor" meu mundo acaba de ruir... A auto-cura: eles são eles com as outras e os outros e cada qual fica com o seu poema... 

E o senhor ´pirou na batatinha´!?! Saiba que eu não quero uma poesia porque me faz lembrar o artigo feminino, ou seja de cheiro mulher já basta o meu... Quero um poema escrito com o punho viril masculino que seja feito só para mim! Se bem que poesia é poema (Santa inteligência faz parte do pacote dos poemas...!!!)

ELE - Impossível! Os poemas são do mundo!!! Que tal reler um poema todinho seu de um antigo namorado ou um ex-marido...?

ELA - Eiii, "doutor"!!! Entendi porque não consegui encontrar o par de sapatos... porque até hoje ainda não encontrei o par certo para ambos os pés...! EUREKA!!! Cristão, meio-cristão, agnóstico... qualquer um serve gente é gente, mas ´fala sério´o senhor está experimentando me dar soluções ou seja, o senhor está c o n t r a t r a n s f e r i n d o peguei o seu inconsciente na boca da botija, "doutor"!!! Além do mais esta história de um poema antigo me faz recordar de meu ex-marido (digamos de passagem ele escrevia muito bem por sinal, mas não basta escrever bem o poema tem que sair do papel e criar vida, o destino se encarrega do restante) ele me deixou de herança alguns poemas... mas isto é parte do passado, como sou página virada no passado dele, o que me diz a este respeito?

ELE - Excelente... será que: 'Qualquer um serve'!?! No entanto veja bem você acaba de voltar para o presente...!

ELA - "Doutor"!!! (voz rouca). Quero um poema com efeito bomba, daqueles que fazem uma pessoa tremer, cair de quatro... com necessidade de caprichar para voltar a respiração normal... Se bem que eu nunca ´cai de quatro´ (vai ver é por isto!) também já levei tantos tapas, tombos e tanta ´porrada´ na vida que cair de quatro seria como pisar na zona do li-mi-te dando a cara para bater de frente para o gol... sem ter treinado para a decisão do campeonato... dando de mão beijada o espaço para um chute vindo literalmente daqueles pênaltis famigerados e mal apitados. Naturalmente o senhor está olhando neste minuto para o relógio...

ELE - Sim... sua angústia lhe parece saudável, me parece será que você não quer mesmo cair de quatro...?

ELA - "Doutor", nem todo mundo é igual, e o senhor é um diabinho de primeira, este seu ´me parece´ é de doer, não vou entrar nesses detalhes com o senhor, afinal o senhor é psi não é gineco (cóf! cóf! não sei mas bem que o senhor podia escrever poemas, o senhor nasceu com cara de quem escreve bem). 

ELE - Sim estou te ouvindo, agora preste atenção...

ELA - ...Já captei, o meu tempo acabou e eu continuo... querendo um poema só para mim!!! Espere um pouco? E se eu escrevesse um `poema`dedicando para mim mesma, seria sinal de desespero?! Não... e se eu receber uma poesia e não gostar e se for de alguém comprometido?! Eu me compro_meteria...??? NÃO, NÃO MUITO OBRIGADA!!! 
Ó cabecinha fútil, por 10 Marilyns... Quero um poema para mim antes que eu morra, quantos poemas estão sendo escritos para determinados autores depois que se foram deste plano físico? Depois que um escritor morre até um adversário é visto como amigo (meio como a história de Airton Sena x Alain Prost). Gosto de datas para me situar no ponto em que estou... o calendário pode ser Universal mas os números para mim se misturam; há quem não aprenda com Biografias... mas há quem precise e bata o pé fazendo valer as suas opiniões, o mundo está cheio de Marias e Joões-que-vão-com-os-outros e sei que nem tudo que um poeta discorda pode ser considerado como ponto final, pode fazer parte da mais pura provocação. Aliás têm alguns que são piores do que os chupins, lêem o que você escreveu... pisam em  você e depois escrevem na cara dura algo embasado no que você escreveu.
Onde está o respeito?
 
ELE - Tudo faz parte no efeito dominó. Seus, últimos cinco minutos.

ELA - Como assim, domi_nós?

ELE - Do-mi-nó o que diz está palavra no plural à você.

ELA - Lembro-me das competições entre equipes internacionais capazes de criar com as pedras de dominós verdadeiras cidades lúdicas, com apenas um movimento as peças vão caindo uma sobre as outras e formando "imagens concretas". Têm pessoas que sentem prazer em destruir jogos comunitários outros constróem...

ELE - Você precisaria de um poema somente para você?

ELA - "Doutor", acho que curei minha 'síndrome'... o senhor agora virou apenas meio sádico, por isso Genial! Até com os maiores chatos do mundo se pode tirar algo de bom. Somos um poema, "Doutor": Todo dia a Poesia pode renascer.

ELE - Ateeé a próxima semana, você acaba de Descobrir o Brasil no dia 30 de julho, (ou melhor que ato falho no dia 30 de abril depois dizem que "psicanalistas" não sofrem?! suspiro...)

Humpf, por hoje chega este foi o último tóc dos toques, de hoje (pensou com os ponteiros do relógio) 

Clic-clác... ban-plóc, porta fechada. 


São Paulo, 30.IV.05 
Foto: angelalib - 06

Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 01/05/2005
Alterado em 23/12/2008
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras