Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


IMAGENS DOS PAPÉIS DE CARTA DOS CORAÇÕES

Seis horas da tarde... o sino da igreja toca lá fora, e eu por aqui ouço a 
voz de Renato Russo.

A maioria das pessoas por esta região no bairro são conhecidas... assim 
como existem algumas pessoas no mundo virtual que passamos a acompanhar e a 'cumprimentar' diariamente.

Hoje me recordo de fase da minha adolescência no século passado, apesar de constantemente experimentar manter o pensamento atualizado, mesmo nos dias de ventania no litoral, nesta Nova Era de ´Aquarius´.

Às vezes me pergunto porque existem pessoas que se jogam do quinto andar? O peso da 'popularidade' pode pesar... tanto quanto o 'anonimato', se não for bem trabalhado internamente. 
No entanto, pensando no contraponto com Mario Quintana

Degradação

Tenho uma enorme pena dos homens famosos, que por isso mesmo perderam sua vida íntima e são como esses animais do Zoológico, que fazem tudo à vista  do público.
(Literatura Comentada - Seleção de textos, notas, estudo biográficos, histórico e crítico por Regina Zilberman Abril Educação - 1982)

Creio que uma frase da Psicoterapia Transpessoal traduz bem o que se
 deve fazer para que isto não ocorra:

" - O ego não é o eu; -
o ego precisa morrer para renascer
em níveis diferentes, sem psicotizar."

Todos nós passamos por fases de lutos e transformações, nos perguntando o que fazer para o céu voltar a ser azul? Reclamar pode ser um dos estágios, contudo passar dias visitando o trampolim de um pequeno muro de reclamações, surte algum efeito??? Ditando a sabedoria de um provérbio japonês: "Cair sete vezes; levantar-se oito!"

...

Cada pessoa tem sua história de vida... aos treze anos, ainda não tínhamos linha telefônica na chácara; todas as semanas eu escrevia cartas para amigas que mantenho dentro do coração até hoje...

De vez em quando eu ía ao Colégio Nossa Senhora do Sion acompanhando algumas aulas como ouvinte a pedido de minhas amigas, assim como minha prima que considero uma irmã visitava o Instituto Adventista de Ensino assistindo algumas aulas na época nos períodos dos recessos diversos. Assim automaticamente, aumentamos o nosso círculo de amizades, quando uma de nós se encontrava adoentada mesmo assim a correspondência transcorria; geralmente neste período buscávamos o mais bonito dos papéis de carta, caprichando nos dizeres para passar de certa maneira uma boa energia à pessoa no momento enferma; "garotas" de maneira geral são solidárias adoram trocar papéis de carta... (hoje em dia, além dos álbuns reais guardam seus papéis, fotos e gifs e Cia em pastinhas virtuais personalizadas). 

No entanto o que vemos hoje?
Você passa horas pesquisando uma imagem, uma foto... (para isto existem os exemplos na escola, se a estampa é fornecida para o grupo realizar o trabalho em grupo) se é uma lição de casa, o que se espera é que as pessoas encontrem suas próprias imagens: Após a "projeção", procure identificar o nome dos fotógrafos, ilustradores, cartunistas, escultores... em suas obras originais. Cada pessoa terá sempre um próprio ângulo, não sou dona das imagens, mas imagino como um fotógrafo se sinta bem tirando uma foto...  no dia seguinte seria estranho se "sêo vizinho" fosse ao mesmo jardim em busca da mesma flor?! Não sei até que ponto vão as histórias pessoais, mas desconfio de quem me pede imagens e nunca repassou ao menos um texto que eu tenha formatado, ou tenha espaço para amigos em seu s(a)ite e se lembre de mim quando "uma imagem editada casou" com algum de seus trabalhos. Sou a favor da reflexão, e da pesquisa para que todos aos poucos exerçam o sentido da palavra: ORIGINALIDADE. 

Será que as pessoas estariam tão acostumadas a ir aos museus para tirar fotos de obras antigas ou modernas... sempre conseguem autorização para bater "suas" fotos?  

 (...) "gravura não é desenho, o que não quer dizer que gravura seja melhor que desenho nem que desenho seja melhor que gravura, mas simplesmente gravura não é desenho. Logo, letra de música não é poema. Pode conter poesia, como o poema a contém ou não. (...) Ferreira Gullar.

(...) "poesia está na janela, na paisagem, na música, em qualquer coisa. Poesia é um sentimento, uma emoção. Conhece-se poesia através da música, do teatro, da pintura, do cinema. Em tudo isso há poesia." (....) Ferreira Gullar.

A meu ver um texto formatado/ilustrado terá sempre o primeiro mérito no caso da leitura (a quem escreveu): "O rei está nu e é mais bonito nu." 
Deixo bem claro aqui que não estou querendo evidenciar um nome politizado no jogo de idéias, mas de um homem e de um poeta o qual valorizo que expressou algo que penso similar e publicou, poderia ter sido qualquer outra pessoa. 

Por outro lado, sabemos que há pessoas que criam a partir de imagens...
no caso de recolher uma obra de arte (pintura/escultura/fotografia) quem nasceu primeiro o ovo ou a galinha??? Será que todos valorizam as oportunidades de troca?! Qual a cor da sua alma de Mamãe ou Papai Noel durante o ano? Como as crianças trocam "figurinhas"? Geralmente quando se tem uma "figurinha premiada" guardada crianças a presenteiam quando desejam, meu s(a)ite pessoal é mantido por mim, se fotografia é um hobby para alguns o meu é escrever, um escritor profissional recebe gratificações que no caso não recebo; e no momento, vejo a "net" como uma Biblioteca você escolhe um texto e/ou gravura... e pode repassá-la com devidos créditos, no entanto se a pessoa não o permitir (o guardarei pois não foi me dado o Direito para Divulgação, me vejo como uma das "pontes").  Se dermos uma poesia para várias pessoas ilustrarem podem acreditar que haverá trabalhos diversas vestimentas sobre o mesmo tema. Como as traduções, cada pessoa pode traduzir um texto e este sairá da sua forma, (a base está ao pé da letra assim como os ajustes vem com a prática da técnica) a se ter uma nova percepção das letras.

Mais um exemplo: Faça uma poesia, jogue no seu blog, no dia seguinte imagine a imagem que você utilizou pelo seu colega 'linkado' 
(repassando a figura sem citar a fonte da 'mina do insight de ouro')... 
seria como fazer uma formatação de um texto de um poeta amigo, e um colega de grupo o repassa daqui há um mês no seu próprio grupo (ou em outros grupos), sem 'o seu' devido crédito pela 'arte' que partiu de suas mãos ...como você se sentiria, com a esmola dada sem contar o nome do 'santo' de onde veio a moeda?

Se quiser aprender como utilizar uma imagem... pergunte para os pichadores: nenhum pinta as mesmas imagens na mesma rua em comum... Apesar disto 'gangs' se ajudam e sabem dividir as tintas e as paredes (No caso de poesias? Quem realmente deseja partilhar: procura amigos para 'duetar' e até onde irá o espaço a ser dividido?). 

O passado se mistura ao presente, todas garotas que tinham telefone em casa, éram unânimes em dizer que ao se depararem com o sinal da campainha com um sinal do Correio, se sentiam alegres por terem escrito para a amiga que não tinha telefone, lendo em troca:

- Ei! 'Valeu' pela sua cartinha sabe que já estou bem melhor! Neste fim de semana não irá dar para 'a gente' tomar sorvete na Brunella, nem dançar na matinê do Papagaio´s... mas no próximo a gente vai se ver, ´obrigadão´ Amiga!

Pena que hoje em dia, ainda existem algumas pessoas graças aos Céus se recuperam, e no entanto apenas observamos os papéis de carta importados 'rodando' pela rede na internet. É tão legal observar os olhos de agradecimento dos amigos, após terem saído de mau estado de saúde!!! 
É tão legal observar o mecanismo de troca sem esperar nada em troca, a todo vapor mesmo depois que estamos crescidos...!
Quantas pessoas fazem assinaturas e distribuem, quantas espalham papéis de carta, há grupos na net que especificamente fazem este tipo de trocas...

Aqui o passado se confronta com o presente novamente, apesar de não ter tido irmãos, era muito bom trocar peças de roupas com minha prima, nos fins de semana e no mês de férias; o mais interessante é que temos até hoje a liberdade de entrar no quarto uma da outra sem pedir licença, mas NUNCA saímos de lá com uma peça de roupa ou sequer um acessório sem ter antes um pedido de licença para uso; embora pude presenciar com infelicidade irmãos consanguíneos em lares humildes e/ou sob um teto abastado discutindo por causa de roupas que estavam sendo usadas naquele dia sem autorização, ou seja a adolescente chegava do colégio querendo vestir a camiseta XYW e não a encontrava limpa no armário... ou claro, estava passeando com um dos irmãos...

Fico pensando hoje nos sinais de ETIQUETA e respeito que vejo no dia a dia das 'garotas blogueiras...' seus blogues são incrementados, branco e preto ou coloridos, cheios de vida e fotos de seu mundo interno, os ´blogues´ funcionam mais ou menos formando elos telegráficos em cadeia...

K. ´blogou´ hoje, a letra PAIS E FILHOS do cantor Renato Russo, uma parte da música diz: “...você me diz que seus pais não te entendem, mas você não entende os seus pais... você culpa seus pais por tudo isso é absurdo...!" Sim, não aprendemos a ser pais da noite para o dia, por isso sou adepta à conversações: De vez em quando observamos "miragens" na internet, que só podem ser consideradas "miragens" no meio do nosso vasto Oásis; alguém edita um dia uma foto, (um grão de areia na rede), passa horas procurando um ângulo por considerar algo feio ou belo, para colocar em seu 'bloguinho', e 'misteriosamente' da noite para o dia vê sua foto "rodando" com sobreposição de texto de um possível autor que está se tornando conhecido no mundo virtual.

Sinto muito, para mim existe uma diferença de uma foto capturada em um
site desconhecido, mesmo ao repassar um texto do provedor Terra, faço aparecer o nome dos autores do texto...
e deixo bem claro quando não sei a origem especifico que no momento é desconhecida (estando aberta para dar os créditos), tanto em Textos como no Meu Diário, como em formatações de e-mails para grupos de poesias e reflexões (como e-mails particulares), também estou no esnips (rosangelaliberti).

...Há fotos que capturamos de grupos que fornecem material para incrementar o mundo virtual dos sites da Net, há fotos e gravuras de pintores e estes nem sempre nos oferecem autorização para efetuarmos uma sobreposição de um Poetrix por exemplo, tenho amigos fotógrafos neste meio, (quem não pode ter? sou utilizadora do s(a)ite olhares, e da Flickr por exemplo, entre outros contatos...) alguns vendem suas fotos os trabalhos, outras são amostras que de preferência podem ter seus nomes passado a frente (mesmo quando estão demarcados nas fotos, mantenho escrito seus nomes abaixo dos textos) procuro pedir autorização nos s(a)ites. Por que não pedir autorização para editar as fotografias? Gosto de ilustrar poemas e textos meus e de outrem quando tenho tempo, os faço com satisfação, desde que minha percepção se sinta confortável, lembrando do ditado: "Casa de ferreiro espeto de pau".
Como as pessoas valorizam seus afetos?!

Existem imagens editadas em sites ou em blog(ue)s de pessoas amigas que há algum tempo circulam seus nomes na Net... Já pensou se todo mundo que executar a montagem de um s(a)ite, no dia ou na semana seguinte encontrar as MESMAS imagens no site do vizinho (ao lado)?
Onde ficaria nossa capacidade de: criatividade, originalidade e troca de "figurinhas"?

Uma foto para uma ciranda, passa pelas mãos do Webdesigner... quem navega em sites estrangeiros compreende ao ler: "pintura, gravura ou fotografia cedida com a autorização do autor".

Para as pessoas que não identificam os artistas ou fotográfos solicitar autorização), quando se pede algo e não se tem o retorno creio que seria melhor evitar um possível "processo" desagradável.

Com o tempo quem de nós não se vê cansado, ao ver suas idéias, seguindo em frente sem a devida valorização, como um mal pode ser cortado pela raiz!?! 

Pense um pouco posso não ter controle das fotos, mas poderei adquirir o controle da arte do manejo do bom senso.

Não estaria na hora de quem escreve poemas de amor exercitar o sentido da palavra Amor dentro de si...? Recordando agora um (outro) provérbio árabe:
"Quem estuda e não pratica o que aprendeu é como o homem que lavra e não semeia."

Pessoal! Acho que vi... eu vi um "passarinho..." (solitário alicerce - ilustração utilizada em um poetrix) com certeza a pessoa não imagina que estou editando textos com um fundo visual, acredito que a pessoa gostou tanto da foto, que esqueceu de mencionar o nome do fotógrafo (geralmente quando sei a origem eu a coloco), repito e tenho amostras no Meu blog(ue) Diário.

Espero apenas... por favor, que admire o bom gosto sem necessariamente buscar pela borboleta e uma amora, um par de âmbar, verbenas, uma folha ao vento e outros 'flashes...' colocando sobreposições de texto para ´circular´após alguém ter lançado uma
idéia, sem os devidos créditos (a verificação disto é o pior).

- Ei!!! "...O QUE VOCÊ VAI SER QUANDO VOCÊ CRESCER???", bem lembrado por Renato Russo na voz do conjunto Legião Urbana.
 
Agradeço a situação que me promoveu tamanha reflexão, assim repasso nestas linhas... acrescentando que sou avessa aos movimentos de estereotipia.

Rosangela_Aliberti
São Paulo, 30.VI.05

Arte: Boris Kustodiyev
Portrait of René Notgaft, neè Kestlin. 1914. 
Oil on canvas, 110x82 cm. 
The Russian Museum, St. Petersburg, Russia.


NOTA: Meu Convite continua aberto à todos assinalem sua presença no Livro de Visitas, (como fiz no mural, lá no Recanto das Letras nesta época do ano) quem 
sabe não está na hora das pessoas aprenderem a votar nos blog(ue)s dos amigos...

Quantas vezes você já votou em um autor de um blog(ue) que está 'pedindo pelo amor de Deus', para se conservar um crédito ou clicou em um site que ´pede auxílio para questões sociais...? (Vejam meus Links). 

Como você pode agradecer os que lhe trazem algum acréscimo pessoal em seu dia a dia?

Agradeço de Coração a leitura.
Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 30/06/2005
Alterado em 06/12/2008


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras