Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


AS FLORES DO MANACÁ


Este é um pequenino conto é para quem no momento está vivendo no cenário preto e branco, no mundo em que parece que nunca irá parar de nevar:

Saia do repouso junto com a borboleta Manacán, sobre um galho na beira da estrada... um chapéu de palha solto ao vento toca a terra e o rosto rosado hoje pálido que sempre busca tons fortes do verdes do mar aguarda o aroma das rosas silvestres para retirar o acinzentado da paisagem.

Se uma saudades bater muito forte no peito a cura está na essência de Minas, o miosótis aqui na terra natal ou procure Honeysuckle de dr. Bach (e outras essências) para quem estiver no exterior para aliviar as saudades primaveris e as dores do passado.

Os narcisos de essência branca iluminávam os campos de amarelo e  nas árvores despontavam folhas verde-limão das mais viçosas, estando aqui consciente da falta das diversas tonalidades, quem sabe poderemos te trazer um pouco de alegria através da cor agigantando o céu de tua alma que sabe como tratar bem as borboletas ao se referir às lindas Moças... 

Procure outras flores que avivarão teus pedidos, terás a sorte de obter o coro doutras aves ao pé de teu ouvido que te auxiliarão a observar novas cores neste inverno interno.

Com os olhos repletos de luz deixarás nascer em ti os campos de abril, procurando trazer a alquimia, a música das mãos da Mãe natureza, transportando-te para um mutirão de cores, das cores da Amizade, a mesma que atrai as abelhas para a flora campestre.

Aquece teu coração, (se os raios de sol te ausentarem) procurando refletir sobre o dourado do teu sol interno aquele que trazes dentro de ti, beija-flor, provocando ondas em branco e rosa até teu cardíaco, respingando no semblante pensamentos positivos, reajustando as emoções aquecendo os pés na terra...
Esquece as rochas frias, tuas mãos nunca estarão vazias, imaginando que estás no campo colhendo flores, as mais belas que a tua imaginação possa facultar tal qual os camponeses que semeiam os campos recolhendo flor por flor: azuis, lilases, brancas, cor de rosa, azuis, lilases, brancas...

Na companhia de uma revoada de borboletas de diversos matizes os chuviscos de outono, se transformam numa chuva de pequenos origamis... como se fossem purpurinas prateadas recém-saídas de um quadro... flashes de um tobogã alegórico, botões de rosa-mercúrio cintilante do mundo vegetal... 

Manacás perfumados! Manacás-da-Terra tocaram tua alma, dando luz a vontade confidenciada de aproximar a boca doutros frutos da terra.
As flores destes Manacá renovam as Esperanças!

Final de abril os ramos de narcisos abafados junto a terra, os últimos enfeitavam as mesas na Páscoa época de renovação: Bons momentos, abraços, respiração, rugas nos rostos dos anciães desmancham e novos sorrisos retocaram as lágrimas.

Hoje procura o som do vento que favorece novos movimentos, tudo é mutável, o está em se livrar do homem velho passo a passo a cada dia e se o verde o amarelo recairem... na saudade remodela os campos com a cores lilases e o branco.

Faça-de-conta que fadas estão vestidas de seda transparente saindo do musgo em direção aos prados com os olhos da cor da água-marinha repercutindo sons agudos saudáveis dando: Dê Bom Dia aos novos dias saudando tuas noites e se despeça das madrugadas...

Cada flor tocada na imaginação desmancha as cenas solitárias desfraldando um pavilhão cintilante arroxeado abrindo novos canais no circuito da Generosidade daqueles que fornecem partes boas de si acolhidos por todos que tem amor pela natureza... e a terra que parecia árida, pedregosa, dura, fria passará a tomar outro tipo de cor...

Cores que desabrocharão com os Raios do Amor Entre Os Povos sendo decifradas aos poucos, trazendo luz e encantamentos: Quando se constrói
pontes fortes e duradouras.

Lembra-te que toda árvore por mais adormecida que pareça... é pilastra contendo elfos e fadas escondidinhos que flutuam no mundo etéreo acenando para que os Brasões mantenham a fronte elegante e a altiva.
Os frutos prometidos caíram dos céus, na forma de luzes dos anjos, choverá manás... as cores das pétalas das flores do Manacá... se reajuntarão auxiliando os diversos céus internos a encontrarem própria amplitude com a luz do Céu:

QUE TEUS PASSOS, AS TUAS LETRAS SEJAM BANHADOS COM LUZ POR ONDE
TU PASSARES HOJE E SEMPRE!

São Paulo, 05.11.04 
Ilustração: Josephine Wall

Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 02/02/2005
Alterado em 22/01/2006


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras