Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


Carta a um Amigo em Especial

Amigo escorre mel de teu coração, a doçura das tuas palavras são de fazer "inveja" aos cachos de uvas sumarentos vendidos a granel nos mercados, onde o peso das videiras valem mais do que ouro devido a carência de substâncias elementos (naturais e químicos) para o plantio em determinada terra.

Em poucos momentos, nos quais nossos pensamentos se cruzam amigo, o dia se ilumina se transformando numa verdadeira festa dissolvendo os círculos do cansaço rejuvenescendo a linguagem pálida de talvez um dia de trabalho extenuante, no barco da amizade flutuam: confidências, o aconchego do calor dos abraços verdes da serenidade, uma cumplicidade indescritível, lágrimas são derramadas sem restrições e novos sorrisos brotam na forma de puro remédio, tamanha a sintonia dos olhares...

Amigo, não troco nenhum canal de um bom documentário na TV, linhas de jornal, nem o som que admiro dos pássaros que me acordam todos os dias, por alguns minutos de troca de notas sérias bem como "crises de ataques de risos" contigo... a tua simplicidade é reflexo da tua paz transparente, sem receio de nos mostrarmos como realmente somos, sem a loucura da competitividade do mundo lá fora e de alguns "lares", recarregam-se as baterias do feijão e do sonho, tamanha a sintonia... máscaras não fazem sentido caindo (sempre) por terra...

Amigo, com dois peixes e cinco pães de cevada em cada mão, gestos de carinho são repartidos teus familiares se tornam os meus e os meus convertem-se de água em vinho: um mais um, dois mais três, cinco... formando um esteio dos reflexos das noites mais intranqüilas; observo fronteiras antigas transpassadas admirando tuas lições de Amor sem pretensão, nem cobrança... não tendo nenhuma raiz árabe nem possivelmente judaica impedindo nossa reunião de troca de afetos... apenas duas pessoas de carne e osso dividindo a mesma mesa com gosto, sem desgostos. Hiatos são respeitados, boas lembranças recapituladas, amarguras amenizadas quando os sentimentos afloram... idealizados (?) Graças! São reais, saltam dos muros atravessando rios longos símbolos de períodos conturbados, tu sabes como se tornar braço esquerdo e fortalecer o direito sem machucar apenas amparando; alimentando os laços de simpatia e dedicação fora do papel sem o odor da consanguinidade ... ensinando a sorrir suavizando os dias negros, aceitando os defeitos com a harmonia da dança das nuvens em dias de chuva com a calma de quem aguarda as cores do arco-íris, amigo tu és professor não comungando com sofrimentos, administrando os erros como sendo saudáveis, alertando... estendendo a mão ao demonstrar o grande respeito ao dar a face ao maior adversário, próprio de quem aprendeu no berço a valorizar todos os prós e contras da natureza humana.

Amigo, tu me ensinastes a manter acesa a chama do archote apagando as palavras que cortam a confiança como se fossem impulsos que sugerissem um desequilíbrio aos momentos frágeis dos que os que tendem ao suicídio bem conhecem, não o suícidio no sentido exato da palavra, mas a sugestões das palavras que fomentam a um suicidar... o processo de depressão tem seu limite, os lutos tem que ser constantemente trabalhados de alguma forma, caso contrário como visualizar um repente minutos de felicidade em meio guerrilhas internas absurdas e externas por vezes inúteis?!

Se existe na terra algum anjo transitando tenho orgulho de tê-lo ao meu lado como "orientador", porque tu és, lembrando a letra de Caetano Veloso: "o avesso do avesso do avesso..."

Tu me exemplificastes desde de cedo como suportar com coragem as emoções contraditórias que partem das pessoas que observam o movimento transitório das letras do coração, quando as falas internalizadas, se confundem aos motivos particulares se esquecendo que todo homem é um artífice constituído de mil e uma facetas... característica tão singular entre todas as pessoas: - "Os bravos perdoam... os bravos esquecem... os bravos julgam sem a pena de Talião" .

Obrigada me auxiliar a separação do joio das más recordações, obrigada pelo seu "sim" e por me ensinar a aprender como me afastar do "não".

Amigo, tu és um milagre vivo, companheiro! Bem melhor ter um Amigo que vale por muitos, do que ter diversos amigos que não valem por Um. Um bom amigo é um Tesouro nas palmas da mãos quando sabe como renovar as esperanças... aplaudindo as vitórias estendendo a mão na hora exata nas ´grandes´ derrotas e nas ´pequenas´ vitórias.

É bem certo que é melhor ter apenas um amigo do que não ter nenhum: "Que belo é ter um amigo! Ontem eram idéias, hoje é este fraternal abraço a afirmar que acima das idéias estão os homens. O sol tépido a iluminar a paisagem de paz onde um abraço se deu forte e repousante. Que belo e natural é ter um amigo! (Miguel Torga)". Onde a permuta da companhia trafega nas sílabas do respeito mútuo daquilo que está no fundo de uma alma... indo muito além dos exemplos dados por um pai ou uma mãe ou a sabedoria dos livros em determinadas horas, creio que aí se encontra a Magia da amizade.
Oxalá eu possa encontrar outros semelhantes a ti...!

Fico feliz porque tu existes dentro de mim, nunca me canso de te amar seja aonde você estiver... tu serás considerado sempre: "Irmã(o)".

São Paulo, 20.VII.05
Ilustração: Borer

FELIZ DIA INTERNACIONAL DO AMIGO!!!
(Inspirado em Cristiane Palmucci Regdasinski)
Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 20/07/2005
Alterado em 29/12/2008
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras