Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


CARTA PARA ALGUÉM EM ESPECIAL

Talvez a maioria das pessoas não tenha descoberto como se dá a criação de um texto, o que faz uma pessoa querer discorrer sobre um determinado tema?
Se o meu pensamento tende mais para o concreto como me sentiria ao me exigirem uma expressão simbólica?
Um bom escritor é aquele que escreve com maior flexibilidade?
Como se mergulha de corpo e alma em uma determinada Poesia?

Das letras para os traços, a frente com o pé direito a resposta do movimento automática vem com o esquerdo...
Tons mágicos se iniciam ao despertar, talvez algumas pessoas nunca tenham a oportunidade de acordar com um bom dia de um bem-te-vi... nunca notaram nos movimentos árduos e contínuos de uma formiga transportando uma folhinha a mais para o formigueiro, agora por exemplo eu sou formiga e sentiria medo de olhar para outra que me dissesse: Odeio insetos!
Na verdade não é o fato de odiar uma determinada coisa que me assusta o que me assusta é a palavra ódio. Porque para mim o ódio não passa de uma fase necessária para o reconhecimento do que incomoda e que deve ser transmutado, o ódio ocasiona dores para ambos os lados.

Talvez alguém nunca tenha chorado ao ver um ramo de flor pisoteado no chão... enquanto isso sinos da igreja tocam ao longe, um passarinho cujo nome desconheço repousa por segundos no capim, dois ou mais besouros estão no mesmo galho da laranjeira... o fluxo dos pensamentos é inexato para quem dança com lobos, pois existem muitos estímulos correndo ao fundo simultaneamente! Se sentir um lobo sem o ser é conviver com uma percepção de estado além do natural estar atenta a tudo o que se passa, dentro de um estado. Talvez nem todas pessoas se dêem conta de como a natureza está próxima pulsando no coração de cada um de nós...

O cheiro de mato está levantando após a chuva e o efeito transparente das gotas sobre as folhagens verdes, me faz pensar no olhar dos fotógrafos e dos pintores: eles são especiais! A sirene da polícia pode estar gritando, as moscas podem estar flertando com o lixão da cidade, ´insights´ são traduzidos naquele momento quando algo desperta a atenção há o desejo de ser congelado, uma ou outra frase desperta o sentido para a construção do enquadre... penso em alguém, além de minha sombra que vê os galhos secos
que estou enxergando com outros olhos... como se fosse um daqueles passarinhos de bico-vermelhos espertos e frágeis ao mesmo tempo que de um minuto para outro fincam as pernas no graveto emitem sons e dão novos impulsos soltando-se no ar se jogando ao vento...
Talvez, seja este meu desejo oculto quando outro alguém estiver lendo este texto que denominei de CARTA PARA ALGUÉM EM ESPECIAL:

SAIA DE CASA PRONTO PARA SE JOGAR COMO UM PÁSSARO CRIANDO NOVAS SITUAÇÕES!

Boas idéias partem do mais simples para o concreto, não se arruma uma casa do cômodo maior e mais bagunçado começamos a organizar um pequeno quarto em algumas horas por dia... e quando o mês passou, estamos mais dispostos para desencantar outros locais.

Talvez, as pessoas não compreendam os momentos de aliteração das frases penso nas Flores da lua de Cruz e Sousa: `da noite a tarda e taciturna trova/soluça numa trêmula dormência/vozes veladas, veludosas vozes/ volúpias* dos violões, vozes veladas/vagam nos velhos vórtices velozes/dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas...
Pensamentos correm como a velocidade dos riscos deixados nas fotografias noturnas... O pensamento percorre em segundos o dedilhar de algum piano ou um violão...

Não faço uso de uma situação de um Autor renomado em nossa Literatura para enriquecer as possíveis bobagens que escrevo.
Existe um pouco de música em mim e quando há musicalidade diante de parcelas de minutos enxergo sons como se fossem as vozes da natureza desprendendo-se das pautas musicais em torno das árvores, das pedras, das pinturas e dos rebocos nas paredes das casas, a aura em tudo que nos cerca e os perfumes dando cores a emoção a palavra do concreto passa para o simbólico. A formiga do poema visual de Ferreira Gullar deseja passear fora do papel se vendo no meio da poesia tomando uma amplitude difícil de expressar. Falar formiga aqui no Brasil é simples, mas nem todos sabem falar formiga em russo, grego, japonês (sabem algo mais do que eu... e talvez você).

Penso na construção das palavras, como seria bom iniciar uma frase e acertar até o fim... penso na descoberta dos sons novos, penso em algumas frases em alemão... outro dia me pediram para que desejasse Feliz Natal em alemão...
Este texto vai ficar aqui escondidinho para quem quiser entrar em contato com ele, acredito não ser agradável passar alguma forma de conhecimento sem ser solicitada...
Hoje me sinto como uma formiga que transporta a folha para o formigueiro debaixo de pés-de-feijões e marias-sem-vergonha (verá algo a mais somente quem quiser?).

...........

Um grande mestre me pediu para que eu lhe desejasse Feliz Natal em alemão: froehliche Weihnachten. ´Weihe´ é consagração, ´nachten´ noites e froehliche aqui está em minúsculo... para que eu me lembre que os adjetivos por lá se escrevem assim... (adjetivos denotam qualidades/características que nem sempre procedem e quanto a cor será que sempre se encaixa como uma luva aos substantivos?)

E, algo assim que me faz pensar como o ser humano é pequeno, no concreto basta ver a escala das estrelas e planetas... 

Uma noites destas me senti feliz em ter podido ensinar algo a mais para alguém, isto não me ocasionou vaidade mas me auxiliou na autoconfiança, ele pode saber MUITO MAIS do que eu, mas eu posso saber algo que ele ainda não tenha descoberto e assim ambos aceitamos a permuta de experiências... naqueles momentos em que nos questionamos se podemos passar algo de bom em retribuição de anos de aprendizado, com uma pessoa com quarenta anos a mais do que eu.

Este é o sentido desta frase para mim hoje, se meus pensamentos mantinham uma ordem de organização considerada estranha parece que a sensação mergulhou de corpo e alma conciliando o simbolismo e o concreto... disse hoje, pois isto está ocorrendo aqui-agora.

Um grande mestre de oitenta anos e poucos anos, advogado, um monstro por mim com manejo do latim... me perguntou alguma coisa a qual eu possa lhe ensinar (trocar)! Ao pronunciar as duas palavras o ar de espanto devido a dureza da flexão da voz, que para quem tem o domínio do idioma é dita de forma comum, a pronuncia tem algo de flexível... se meu tom de voz não é duro pode haver a vontade de pronunciar as palavras para que 'rasguem corretamente...´

Sabe o que é tentar ser o que não se é? Talvez seja este tipo de pressão que tenha me derrubado, quem tenta ser algo que não é, se denuncia... todos estão vendo o que você não é, e nunca será... pois não está dentro de si, ou pode ter sido de fato com muito furor dentro de um movimento que fora mal aproveitado que em determinado ponto pedindo que voltasse ao início... à estaca zero.

Ou pode ter sido nada disto. Nada, nadar, água, maresia... a maresia nunca me deu náuseas, no entanto por que penso no mar? Por que o mar é considerado neutro na língua alemã?
Por que se referem à ele como sendo ´das Meer´?
Porque no mar seres vivos independem do sexo e sobrevivem... Desta forma o mar sendo neutro acolheria melhor todos os seres viventes?!
Por que a praia carrega o masculino? ´der Strand´.
Por que a praia para nós está no feminino?
Por que a nossa praia veste a roupagem de fêmea...? (como se apenas a mulher pudesse acolher as ondas do mar)

Pensar nas palavras e sua formação adquire uma amplidão estranha e assustadora como o soar de uma palavra noutra língua a qual nunca se tenha tido contato anteriormente...
Podemos pensar com nossos botões o que será que esse alguém está dizendo? Bem diferente daquilo em que estamos habituados:
- O que ele quis dizer com isso?

O lar ´das Heim´... campo de neutralidade novamente (posso compreender) agora é como se eu tivesse que associar a palavra com algum significado intrínseco. ... Por que a janela se apresenta como neutra? ´das Fenster´. Por que você pode enxergar nela o que quiser?!

A chave no masculino? ´...der Schluessel´, a chave entra no buraco da fechadura deve funcionar mais ou menos como os plugs da tomada... (por que não pensei nisto antes?)

Por que a carta foi denominada em masculino? ´...der Brief´
´O´
carta soa com dificuldade para quem havia passado 36 anos de sua vida nomeando cartas no feminino... ainda mais quando os objetos diretos passam a se tornar diretos: ´Entrego para Maria o carta´
As coisas não ocorreram para mim automaticamente... me conformo em entregar algo à Maria primeiro (até mais educado) mas... ´O´ carta...!?!
Qual o sentido da carta ir parar no masculino?
Se perguntasse à um alemão? Garanto que nem todos pensariam como eu:
- Se aqui falamos a carta, a carta leva o ´a´ e ponto final, ´o que não tem sentido nem nunca terá´ talvez alguns se percam entre construções de frases como eu (enquanto outras pessoas neste espaço de tempo acham graça destes tipos de trocas sinto vontade de chorar quando vejo pessoas sorrindo).

´Cartas´ escritas com um objetividade utilizando mais uma vez a razão.
Se eu pensar neste sentido talvez encontrasse alguma lógica, em estado de desesperador seria interessante enviar determinadas notícias?!

Posso ser uma formiga que desprende o passado estando hoje carregando uma folhinha a mais para um formigueiro nesta terra do futuro tendo espaço para os bons OlhOs se é: REI.

Melhores Anos Virão!

São Paulo, 23.XII.04
Ilustração: Borer
Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 23/12/2004
Alterado em 02/05/2011


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras